Quinta-feira, 15 de Setembro de 2005

O HUMOR QUE HÁ NO AMOR

Sempre me disseram que nunca se deve escrever de cabeça quente, neste momento acho que a minha está a escaldar. Choro, baba, ranho, todo o meu rosto lavado em ti. O que intitulas o meu “mundo” não é mais do que um refugio para poder entrar melhor no teu, um abrigo onde tento guardar os meus medos longe, para não embranhá-los em mim.

O vazio da noite quente mirra minha tristeza e tento ver o lado positivo da vida, adormecer com um sorriso porque o amanhã vai ser melhor. Ensinaste-me que o amor é feito de bons e maus momentos, e que o segredo é manter o equilíbrio.

Batalho dia após dia para combater a introspecção e ver o outro lado do espelho, onde sei que existe igualmente felicidade e tristeza, porque percam as ilusões o caminho para a felicidade implica passar pelo lado negro. Chamemos-lhe “As Trevas”, tirando alguns músicos rock que compõem melhor nestes momentos, ninguém gosta de passar por lá, porque implica crescimento. Crescer pode ter uma panóplia de sinónimos quando se trata de uma relação, mas uma relação não é só feita de Amor. Amar é dar liberdade assim se diz, mas falar é fácil, ou não houvesse milhões de treinadores de bancada, agir é que é. Crescer doí, doí muito, implica quebrar laços com nós próprios e albergar novas realidades, com uma naturalidade que só é natural de quem ama.

Amar não é sofrer, ensinaste-me também isso, amar é tudo aquilo que te quero dizer, mas que não consigo. Pois por muito que fale, as palavras nunca chegarão para explicar o que sinto por ti. Acho que a culpa é dos poetas clássicos, dos postais de amor, do dia dos namorados, dos ursinhos de peluches com corações. Banalizou-se falar de amor, as provas de amor não são faladas, são dadas todos os dias naquelas pequenas coisas que normalmente olhamos, mas não vemos.


Se por acaso algum dia leres isto, espero que saibas ler nas entrelinhas, pois estas são como os olhos, não mentem. Apesar de que no meu credo, para mim mentem tantas vezes, acho que deviamos comelçar a comunicar com o coração. Já que não posso melhorar o ontem, deixa-me melhorar o teu hoje e ainda mais o teu amanhã.

Se realmente este artigo surtiu algum efeito em vocês, cheguem ao pé da vossa pessoa amada e dêem-lhe um abraço, porque um abraço sentido diz mais do que alguma vez se possa imaginar.

Para toda e qualquer pessoa que leia este post e se esteja a perguntar, O que é que este post tem a ver com os artigos de tentativa humoristica que escrevemos?. A resposta é muito simples…NADA. Descubram o humor que há no amor, porque este foi feito para rir e não para se chorar.

P.S.: Gostariamos de deixar um recado ao Vítor Espadinha e aos Ornatos Violeta (RIP). O Amor NÃO é uma doença, quando nela julgamos ver a cura. O Amor é a cura para a nossa doença.

Pensamento do Dia: O Amor por vezes é como a vida. A vida é bela, nós é que dá-mos cabo dela.

Temos dito. Peace and Love.


Ass: Grizo e Mercador.
tags:
pregado por Alfinete de Peito às 09:32

link da posta | Espeta um comentário | Junta-o aos melhores!
|
20 comentários:
De Su a 15 de Setembro de 2005 às 10:43
eu como spre gostei e nem me interroguei q tinha o post do amor a ver com humor..pois tem tudo...reparemm:

"Johnny asks grandpa: Do you still have sex with granny?
Grandpa says: Yes, but only oral. Johnny asks: What is oral?
Grandpa says: I say fuck you, she says fuck you too."

e para finalizar a vida não é complexa, nós é q a complexamos
De Keimadela a 15 de Setembro de 2005 às 13:22
O amor verdadeiro é como um fantasma, todos falam nele mas nunca ninguém o viu. Tendo em conta a fase que passo custa-me acreditar no amor. S calhar não no sentimento em si, mas mais no "ouvir" da boca ds pessoas. Amar quando tudo está bem é fácil. Mas amar quando se passa momentos dificeis na vida é que é fogo. E na maior parte dos casos (falo por experiência própria) é nestes momentos dificeis que se vê se se ama ou não. Acho que para amar temos de passar por uns certos "testes". E o teste crucial é mesmo esse, será que conseguimos estar com uma pessoa que está a passar uma fase de merda na vida? Se a nossa vida corre ás mil maravilhas e é perfeita, poruqe vamos estar ao lado de alguém que têm uma vida "complicada" e mesmo cheia de mágoa? Na maior parte dos casos partimos para alguém que tenha uma vida perfeita e que nos faça sorrir a toda a hora. Será isso amar? Na minha opinião, e ao contrário da vossa conclusão, o amor existe quando temos a capacidade de rir juntos, mas principalmente de chorar juntos, e não abandonar a carroça a meio porque a nossa vida é demasiado perfeita para isto. Desculpem a extensão, mas senti necessidade de dizer tudo isto. Fiquem bem e um forte abraço Numenesse
De Nana a 15 de Setembro de 2005 às 14:14
Alfinete de Peito em clima de amor... hum...

Beijos, meninos.
De mfc a 15 de Setembro de 2005 às 14:24
O amor é a mola real da vida.
Pode haver tudo, mas se ele não existe... é um vazio insuportável!
Parece que nada tem sentido...
De francis a 15 de Setembro de 2005 às 15:22
Ò amigos, a partir do momento em que se morre de amor, o amor pode ser uma doença. Nunca lerem o "amor de perdição?"
De Maria a 15 de Setembro de 2005 às 16:19
Interessante o que escreveste. Gostei muito de ler. Concordo que o amor é a cura! O maor não se pensa porque não se pode... Só se sente.
De Ricardo a 15 de Setembro de 2005 às 16:34
completamente... o amor é lindo e pode fazer-nos felizes, pena é q muitas vezes não o compreendemos e acabamos por dar cabo dele.... É tão lindo AMAR
De UnaRagazza a 16 de Setembro de 2005 às 15:51
"espero que saibas ler nas entrelinhas, pois estas são como os olhos" Tão Verdadeiro!...
Sobre o Amor, nada digo, porque como vocês mencionaram, este já se gastou na boca das pessoas...
Beijos solidários com a dor***
De agua_quente a 16 de Setembro de 2005 às 20:59
Ora, ora, os meninos também sabem falar de amor! :) Gostei, rapazes. O amor é isso aí: doi, por vezes, mas como poderia a nossa vida ter cor sem ele? Beijos desta amiga que está de volta.
De Uxka a 17 de Setembro de 2005 às 00:23
Um alfinete na mouche. Mas não m'esperava desta...

Espeta-o

Contacta o Alfinete

Mail: blogalfinetedepeito arroba sapo ponto pt
Msg: alfinetedepeito arroba gmail ponto com
RSS: RSS do alfinete

Google Reader or Homepage
Subscribe in NewsGator Online
Add to Technorati Favorites!
Get RSS Buttons
online

tags

todas as tags

Pesquisa no Alfinete

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Achtung!

Todo e qualquer conteúdo deste blog é fictício, até os seus criadores.

Descubra os Alfinetes!

GRIZO
Delírios verborreicos e silêncios criativos. Adoro ver em ângulo morto e desmontar maratonas de 500 metros. Tenho dito.

MERCADOR
O meu passatempo favorito é fazer omoletas sem ovos. Adoro e ao mesmo tempo odeio pessoas. Gosto de olhar e ver e de pôr a minhoca de molho. Tenho dito.

TOBIAS
Diagnosticado, com pensamento abstracto, possuo também inteligência, humor e acima de tudo beleza (para compensar a ausência nos restantes). Tenho dito.

Amigos do Peito

Alfinetes no Palheiro