Sábado, 10 de Setembro de 2005

O IRRITADO CRÓNICO

Passava pouca das seis da tarde, cerca de 45 minutos, quando o Sr. João Calmante entrou no consultório do Alfinete de Peito para dar início à sua primeira sessão de acompanhamento.

João Calmante tem 43 anos e é casado com Felicidade Calmante, com quem contraiu matrimónio à cerca de 15 anos, fruto do qual nasceram os seus dois filhos, Jacó (que trabalha na Telepizza) e Liliana (que frequenta o 3º ano do curso de Canto Gregoriano no Conservatório de Música). João reside na Pontinha e trabalha como contabilista no arquivo do Tribunal de Contas. É uma pessoa que se descreve como stressada e pessimista, factos que o levaram a recorrer aos nossos serviços.

Começámos por pedir a João Calmante que identificasse aquilo que o leva a ficar irritado, eis a resposta:

Irrita-me o Daddy Yankee cantar “Me gusta la gasolina” quando eu tenho o ponteiro na reserva. Será que ele sabe o preço de um litro de gasolina na Galp?
Irrita-me o preço da lagosta.
Irrita-me engolir sapos, especialmente aquele que corre mais rápido que a própria sombra.
Irrita-me vozes estridentes.
Irrita-me pessoas que não se calam.
Irrita-me quando se chega ao aeroporto e se descobre que o avião está atrasado e vamos a viagem toda com crianças ao lado a berrar.
Irrita-me pessoas a desperdiçar comida, quando existe tanta fome no mundo.
Irrita-me falar com o voice mail.
Irrita-me o telemarketing.
Irrita-me quem toma banho em perfume.
Irrita-me ter tempo para conseguir fazer torradas e come-las durante um intervalo de um filme na TV.
Irrita-me o silêncio.
Irrita-me lavar o carro num dia de sol e chover no dia seguinte.
Irrita-me o ordenado dos jogadores de futebol.
Irrita-me as cunhas.
Irrita-me os Secretários de Estado, nunca mais poderem desempenhar cargos inferiores na função pública.
Irrita-me o Imposto Automóvel.
Irrita-me a fuga ao fisco.
Irrita-me a incompetência.
Irrita-me não haver uma Nova Gente quando tenho vontade de soltar os prisioneiros.
Irrita-me pessoas falsas.
Irrita-me quem tira macacos do nariz nas filas do trânsito.
Irrita-me mudar constantemente de posto de rádio e todos darem publicidade.
Irrita-me que comam pipocas no cinema como se não houvesse amanhã.
Irrita-me gramar com a música clássica das chamadas em espera.
Irrita-me quem mete o pisca para mudar de faixa de rodagem.
Irrita-me quando me perguntam se quero pizza alta e fofa ou fina e estaladiça.
Irrita-me as notícias de encher pneu do jornal da TVI.
Irrita-me dizer a uma pessoa que está irritada para se acalmar e isso não acontecer.
Irrita-me este post.
Irrita-me a minha irritação e a dos outros.
Irrito-me por tudo e por nada, pela simples existência de ser.

Após o final da sessão, chegámos à conclusão que João Calmante padecia de Irritação Crónica (A Nova Doença das Metrópoles), pelo que lhe recomendámos que desse umas voltas na rotunda do Marquês de Pombal em hora de ponta.

Historial: Esta sessão ocorreu à cerca de seis meses. Desde então João Calmante adiciona diariamente à sua Sopa uma boa dose de Valium e Xanax. Hoje em dia encontra-se reformado por invalidez e passa o dia a jogar às cartas com os amigos num jardim perto de sua casa, coisa que o irrita profundamente.

Pensamento do Dia: A pior coisa que se pode dizer a uma pessoa que está irritada é “Acalma-te” ou “Tem calma”. "É preciso ter calma, não dar o corpo pela alma".

Temos dito.

Ass: Grizo e Mercador.
pregado por Alfinete de Peito às 22:15

link da posta | Espeta um comentário | Junta-o aos melhores!
|
15 comentários:
De Ricardo a 12 de Setembro de 2005 às 09:42
Adorei... O vosso post pos-me logo bem disposto (e numa 2.ª feira de manhã não é fácil) loladas!....

Por acaso tb me irrita profundamente que tentem acalmar-me qdo estou irritado.... Enfim!... C'est la vie....

Abração
De manuel a 12 de Setembro de 2005 às 12:25
Irrita o preço da lagosta? também a mim, ora!

Quanto aos sapos, na segunda vez já não dói nada...

(é um gozo danado ler-vos)

abraços
De Su a 12 de Setembro de 2005 às 13:42
opsss como me irrita..por isso sou adepta do xanax;))))))
jocas, como spre amei o post
vá lá irritem-me:)))))
De francis a 12 de Setembro de 2005 às 19:53
... e eu irrito-me por ver tanta gente irritada!! He, he!!
De Keimadela a 13 de Setembro de 2005 às 10:04
Serei eu o único a irritar-me com tudo o que o homem se irrita? Terei também de colocar xanax na sapo?? tou a ficar irritado com tantas duvidas...
Abraço Numenesse
De Ana a 13 de Setembro de 2005 às 10:50
Nao deixa de ter piada mas a verdade é que se torna cada vez mais dificil fugir a irritação cronica nos dias de hoje. Bom post, como sempre*
De galinha a 13 de Setembro de 2005 às 13:56
Muito bem!! O "Alfinete" no seu melhor. Obrigado pelos vossos pedidos de novos textos na Galinha. Brevemente teremos grandes novidades...
Estejam atentos.

Galinha Estéril
De UnaRagazza a 13 de Setembro de 2005 às 14:36
Começo a suspeitar que essa Irritação crónica seja transmissível... :)
De Sofia a 13 de Setembro de 2005 às 16:24
cmo é k sabem qual é o meu curso? 8-)
a mim irrita-me n saber a identidade das pessoas... mas é um irritar "bom"... um irritar de curiosidade :).
mais uma vez, obrigado pla visita.
beijinhos!
De Fallen_Angel a 13 de Setembro de 2005 às 16:50
heheheheh :O)
boa semana :OP
bjinho pa vcs

Espeta-o

Contacta o Alfinete

Mail: blogalfinetedepeito arroba sapo ponto pt
Msg: alfinetedepeito arroba gmail ponto com
RSS: RSS do alfinete

Google Reader or Homepage
Subscribe in NewsGator Online
Add to Technorati Favorites!
Get RSS Buttons
online

tags

todas as tags

Pesquisa no Alfinete

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Achtung!

Todo e qualquer conteúdo deste blog é fictício, até os seus criadores.

Descubra os Alfinetes!

GRIZO
Delírios verborreicos e silêncios criativos. Adoro ver em ângulo morto e desmontar maratonas de 500 metros. Tenho dito.

MERCADOR
O meu passatempo favorito é fazer omoletas sem ovos. Adoro e ao mesmo tempo odeio pessoas. Gosto de olhar e ver e de pôr a minhoca de molho. Tenho dito.

TOBIAS
Diagnosticado, com pensamento abstracto, possuo também inteligência, humor e acima de tudo beleza (para compensar a ausência nos restantes). Tenho dito.

Amigos do Peito

Alfinetes no Palheiro