Quarta-feira, 18 de Abril de 2007

...E O CA**LHO!

Todos os dias ando no metro de Lisboa. Ontem estava sossegado no meu canto a ler até que me deparo com uma ave, infelizmente não tão raro quanto seria expectável. O que é que esta besta tinha de diferente de muitas outras? Este artista de circo acabava todas as frases com “...e o ca**lho!

 

O diálogo a que pude assistir (e o resto da carruagem, falavam ligeiramente alto, deviam ser meios surdos ou ter cera acumulada nos ouvidos) durante duas estações (felizmente) foi o seguinte:

Gajo – Ontem foi ao hi5 e o ca**lho!

Amigo do Gajo – E então...foste falar com gajas?

Gajo – Fui, estive a falar com a tipa do outro dia e o ca**lho!

Amigo do Gajo – E vais conseguir sair com ela?

Gajo – Penso em sexo com ela e o ca**lho!

Amiga do Gajo – E o Benfica ontem, quem é que marcou os golos?

Gajo – Quem é que marcou os golos? Ficou empatado és mesmo burra e o ca**lho!

Amigo do Gajo – Yah!

Amiga do Gajo – Não sabia, foi porque não vi o jogo!

Gajo – Caga nisso! Vamos sair! (não sei como é que ele não acabou esta tirada com o “...e o ca**lho!”, deve ter-se esquecido.)

 

Finalmente saíram e pude continuar a ler. Li mais umas páginas e o ca**lho! E cheguei ao meu destino.


Pensamento do Dia: Sem comentários!

Temos dito.

Ass: “Um de nós”

sinto-me: palavrão
música: Paradise Lost - The Enemy
pregado por Alfinete de Peito às 17:23

link da posta | Espeta um comentário | Junta-o aos melhores!
22 comentários:
De Wildy a 19 de Abril de 2007 às 09:49
E aposto que n era do norte e o ca**lho!! LOLOLOL xD
De Alfinete de Peito a 19 de Abril de 2007 às 12:05
Não tinha nada a ver com o norte, era bem so sul e o ca**lho! lol

Temos dito.
De Nini a 19 de Abril de 2007 às 10:02
Cá no Norte cenas dessas são diárias, mas aqui onde vivo fala-se muito mal, é um pouco rural ainda apesar de ser cidade e ter muita população.
Se um dia vierem cá para o Norte, convido-vos a visitar a minha zona e terei todo o prazer em fazer de guia, e verão muitas aves raras.
Mas não podia deixar de vos dizer qual a frase mais engraçada que dizem na minha região, numa Freguesia vizinha 80 % da população começa as suas frases dizendo "ó com uma cona", é ordinário é, mas com o sotaque e a gestual da aldeia é de partir a rir.
Desculpam o desabafo....mais mal criado
De Alfinete de Peito a 19 de Abril de 2007 às 12:09
Querida Nini,

Tenho que ir a Esposende para ouvir isso! Quando me desloco ao morte não costuma ser tão para cima...mas pode-se falar o esforço e o ca**lho!

Beijinhos. Temos dito.
De Carocha73 a 19 de Abril de 2007 às 12:43
Ena c'um car**lho! O que para aqui vai ehehehe Curiosamente, a linguagem da 'nossa' juventude passou a ser ivadida por car***lhos! Não dizem nada, dão para tudo.. e quando não sabem o que dizer, ter um car***lho à mão, desenrasca sempre!
É...
De Alfinete de Peito a 19 de Abril de 2007 às 14:23
Queres tu dizer que andam sempre de ca**lho na boca! Realmente é quase como dizer "com licença" ou "desculpe"!

Temos dito.
De Carocha a 22 de Abril de 2007 às 18:19
O Metro é fantástico!! Eishhh o que uma pessoa perde por se movimentar em território limitado. Recordo-me de ver uma mocinha africana a comer 'jaquinzinhos' fritos e a cuspir espinhas para um saco que mantinha aberto entre as pernas! Muito à frente!
P.S. Se não souberem o que são jaquinzinhos, consultem-me. É um prazer!
De Alfinete de Peito a 23 de Abril de 2007 às 12:22
Sabemos perfeitamente o que são jaquinzinhos! Com arroz de tomate...que maravilha!

Agora sinceramente no metro...efectivamente apanha-se cada clássico no metro!

Beijinhos. Temos dito.
De Valeta Comum a 19 de Abril de 2007 às 13:26
Penso que um blog tão libertino como o Alfinete de Peito está preparado para receber este texto! Uma explicação quase ciêntifica para o bom uso do palavrão. Enjoy.

"O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de "foda-se!" que ela diz. Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"?

O "foda-se!" aumenta a minha auto-estima, torna-me uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Liberta-me.

"Não quer sair comigo?! - então, foda-se!"

"Vai querer mesmo decidir essa merda sozinho(a)?! - então,
foda-se!"
O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição. Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para dotar o nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade os nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo a fazer a sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que vingará plenamente um dia.
"Comó caralho", por exemplo. Que expressão traduz melhor a ideia de muita quantidade que "comó caralho"?
"Comó caralho" tende para o infinito, é quase uma expressão matemática.
A Via Láctea tem estrelas comó caralho!
O Sol está quente comó caralho!
O universo é antigo comó caralho!
Eu gosto do meu clube comó caralho!
O gajo é parvo comó caralho!
Entendes? No género do "comó caralho", mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso "nem que te fodas!". Nem o "Não, não e não!" e tão pouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade "Não, nem pensar!" o substituem. O "nem que te fodas!" é irretorquível e liquida o assunto. Liberta-te, com a consciência tranquila, para outras actividades de maior interesse na tua vida.
Aquele filho pintelho de 17 anos atormenta-te pedindo o carro para ir surfar na praia? Não percas tempo nem paciência. Solta logo um definitivo: "Huguinho, presta atenção, filho querido, nem que te fodas!". O impertinente aprende logo a lição e vai para o Centro Comercial encontrar-se com os amigos, sem qualquer problema, e tu fechas os olhos e voltas a curtir o CD (...)
Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um "Puta que pariu!", ou o seu correlativo "Pu-ta-que-o-pa-riu!", falado assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba. Diante de uma notícia irritante, qualquer "puta-que-o-pariu!", dito assim, põe-te outra vez nos eixos. Os teus neurónios têm o devido tempo e clima para se reorganizarem e encontrarem a atitude que te permitirá dar um merecido troco ou livrares-te de maiores dores de cabeça.
E o que dizer do nosso famoso "vai levar no cu!"? E a sua maravilhosa e reforçadora derivação "vai levar no olho do cu!"? Já imaginaste o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: "Chega! Vai levar no olho do cu!"?
Pronto, tu retomaste as rédeas da tua vida, a tua auto-estima. Desabotoas a camisa e sais à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.
E seria tremendamente injusto não registar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: "Fodeu-se!". E a sua derivação, mais avassaladora ainda: "Já se fodeu!". Conheces definição mais exacta, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusivé, que uma vez proferida insere o seu autor num providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando estás a sem documentos do carro, sem carta de condução e ouves uma sirene de polícia atrás de ti a mandar-te parar. O que dizes? "Já me fodi!" Ou quando te apercebes que és de um país em que quase nada funciona, o desemprego não baixa, os impostos são altos, a saúde, a educação e … a justiça são de baixa qualidade, os empresários são de pouca qualidade e procuram o lucro fácil e em pouco tempo, as reformas têm que baixar, o tempo para a
desejada reforma tem que aumentar … tu pensas “Já me fodi!”

Então:

Liberdade,

Igualdade,

Fraternidade

e

foda-se!!!
(Adaptado de Foda-se, Millôr Fernandes)

Assim, me despeço com saudações Valetianas,
Catarina
De Alfinete de Peito a 19 de Abril de 2007 às 14:32
lol.

Grandes Saudações Catarina, efectivamente um blog como o Alfinete estava pronto para um texto como o que colocaste...o qual não conhecia, mas achei um must!

Belo comentário!
Beijinhos. Temos dito.



De Conguinho a 19 de Abril de 2007 às 14:26
Queridos Alfinetes venho aqui comprovar as palavras da Nini. Feliz ou infelizmente o meu futuro cunhado mora nessa tal freguesia vizinha e por vezes lá solta o "cuma con* " eu faço de conta que não ouvi e sigo a minha vidinha.
Mas no norte realmente ouvem-se muito mais do que cá em baixo. Desde que vim aqui para a terra do choco frito deixei de estar tão acostumada heheh
Mas engraçado engraçado é ver-mos os jovenzinhos que acham que já são adultos usando ca***** a torto e diretio pensando que são os maiores.
Espero que cresçam e isso passe. De vez em quando é aceitavel agora tantos num pequeno texto só é que não.
Cum ca*****

Fiquem bem e continuem alfinetanto...
De Alfinete de Peito a 19 de Abril de 2007 às 14:40
Querida e dedicada seguidora conguinho,

Tou a ver que esse freguesia é do best, tenho que ir aí fazer o visita. Quanto à malta jovem anda tudo de ca**lho na boca, o que é uma vergonha!

Sei que no norte à palavrões, que passaram a palavras de tanto uso que têm...enfim costumes...mas é uma bela terra! Resolvi partilhar, simplesmente porque fui ca**lhada a um ponto que não conseguía estar concentrado a ler o meu rico livro.

Beijinhos. Temos dito.
De alexandre a 19 de Abril de 2007 às 16:27
Infelizmente nao é so na freguesia da Nini, aqui nas terras dos mouros, mais concretamente em Portimão reparo que muitos jovens fedelhos de 12 a 15 anos dizem muito "caralho", mas é no mininmo curioso, porque estes dizem a dita palavra no meio da conversa, do estilo "fui ter com ela e o caralho, pois ela tá mto diferente...". Alem de dizer a dita palavra, eles acrescentam o seu lindo sotaque algarvio, com palavras que ninguem entende do estilo "xi diébe cãrálhee do moçe sé maldesoade"
No minimo peculiar...
tenho dito!
De Alfinete de Peito a 19 de Abril de 2007 às 18:28
Acho que definitivamente o mais interessante deste post é podermos partilhar experiências de como as pessoas dizem palavrões no meio das suas conversas, cada uma com seu sotaque e estilo!

A internet dá um jeitaço para elevar o sentido de comunidade!

Temos dito.
De redonda a 20 de Abril de 2007 às 00:44
:) Ainda hoje estive a ler um post noutro blog sobre um romance que quase começava no Metro...É chocante o que estou a perder só porque não ando de metro...
De Alfinete de Peito a 20 de Abril de 2007 às 12:18
Caro Antónimo,

O metro tem muito que se lhe diga, se tiveres possibilidade, recomendo começares a andar...poupas o ambiente e a carteira fica mais pesada!

Temos dito.
De Mikas a 20 de Abril de 2007 às 20:26
Fo**ce vá lá falar mal pó ca*a**o
De Alfinete de Peito a 23 de Abril de 2007 às 12:15
Eu vou...mas hoje vi dois estrangeiros a serem catados no metro com uma grande pinta!

Temos dito.
De reversivel a 22 de Abril de 2007 às 00:46
No Metro vê-se e ouve-se de tudo. Vocês até nem apanharam a pior parte. Desde um senhor completamente nú da barriga pra baixo, a descascar laranjas, a um outro, na casa dos 60 anos, a masturbar-se dentro do próprio metro, já vi e ouvi um pouco de tudo.
Ingleses a contarem as suas aventuras sexuais com portuguesas, franceses homosexuais a trocar palavras "de apreço".
De facto quem não experiencia o metro todos os dias, não sabe o que anda a perder.
E só para vos provar que no metro também acontecem coisas boas: um dos meus grandes amores começou, com o abrir de portas, na estação dos restauradores.

Um beijinho aos alfinetitos
De Alfinete de Peito a 23 de Abril de 2007 às 12:19
Efectivamente, tens mais histórias do metro do que eu! Hoje na minha carruagem foram dois estrangeiros assaltados com a velha técnica do empurrão em grupo!

Quanto ao amor no metro, efectivamente nunca me aconteceu...mas é um sítio como outro qualquer. Ou até melhor!

Beijinhos. Temos dito.
De suse a 27 de Abril de 2007 às 17:18
Como te percebo... hoje levei com um rapaz mal cheiroso que não devia ter tomado banho de manhã e esqueceu-se do perfume e dos toalhetes para disfarçar...

Já estava quase azul quando cheguei ao meu destino, de tentar não respirar!
De Alfinete de Peito a 27 de Abril de 2007 às 19:15
No metro é com cada figura...que só mesmo vendo para crer!

Uma pessoa devia andar munida de perfume, porque o metro é efectivamente mau!

Beijocas. Temos dito.

Espeta-o

Contacta o Alfinete

Mail: blogalfinetedepeito arroba sapo ponto pt
Msg: alfinetedepeito arroba gmail ponto com

tags

todas as tags

Pesquisa no Alfinete

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Achtung!

Todo e qualquer conteúdo deste blog é fictício, até os seus criadores.

Descubra os Alfinetes!

GRIZO
Delírios verborreicos e silêncios criativos. Adoro ver em ângulo morto e desmontar maratonas de 500 metros. Tenho dito.

MERCADOR
O meu passatempo favorito é fazer omoletas sem ovos. Adoro e ao mesmo tempo odeio pessoas. Gosto de olhar e ver e de pôr a minhoca de molho. Tenho dito.

TOBIAS
Diagnosticado, com pensamento abstracto, possuo também inteligência, humor e acima de tudo beleza (para compensar a ausência nos restantes). Tenho dito.

Amigos do Peito

Alfinetes no Palheiro