Quarta-feira, 2 de Maio de 2007

LARGA O OSSO!

Muitas notícias têm surgido, e cada vez com maior frequência, de bobby´s que atacam pessoas nas mais diversas situações. Ora, curiosos como somos, fomos saber até que ponto estes canitos são ou não agressivos.

Zé Mata-Mouros, é um jovem de 15 anos com muitos amigos, e com quem costuma dar muitas passeatas pelas ruas de Lisboa para apanhar ar fresco. Há cerca de 3 meses ouviu falar de um cão que surgiu de uma experiência secreta entre dois actores. Falamos obviamente de Brad Pitt e Patrícia Bull, cujo cruzamento deu origem ao Pitbull.

Logo correu ao E-Bay para adquirir um piqueno daqueles. Da sua experiência conta que "O Mandíbula é um amor, e eduquei-o muito bem. Antes de pedir um night ao people que vai a passar, ele costuma ser o primeiro a aproximar-se, como quem diz Olá, tudo bem?". Este jovem acrescenta ainda que "brinco muito com ele, para socializar. E tal como nós brincamos com pessoas diferentes, também gosto que ele brinque com outras raças. Galinhas, por exemplo. Até é porreiro porque costumo levá-las depois para o jantar, facilita a vida à minha mãe porque depois de brincar com o Mandíbula já vem trinchada e tudo".


Legenda: Fofinho e sem cáries!

Quim, 27 anos, traficante de pão-de-centeio, também é fã destes "amiguinhos". "Comprei o Tyson vai para 2 anos. É muito fofo, já em cachorrinho quando se chateava tentava mordiscar o pescoço da minha sogra e eu achava imensa piada. Mas nunca lhe furou a jugular. Às vezes quando brincava com outros cães, era tão pachorrento, que lhe dava injecções de adrenalina a ver se arribava um pouquinho".

"Azares? Só um..." conta com ar agastado. "Mas foi um acidente. Estava a ensiná-lo a trazer-me uns pauzitos e então atirei um que por acaso foi cair junto a uma senhora que estava a passar. Ele confundiu o pau com a tíbia, e arrancou-a. Havia de ver o ar contente com que ele ma trouxe. Mas está bem ensinado, e devolveu logo o osso à senhora".

Josué, fã desta raça, já tomou medidas preventivas. "Nunca achei necessidade, mas a justiça obrigou-me a colocar um chip no cão. Ao início até estranhei o comportamento dele,  parecia uma barata tonta a fazer uns barulhos esquisitos. Mais tarde lembrei-me que o chip que tinha posto era da playstation, mas já não havia nada a fazer."

Enfim, afinal parece que estas histórias são uma cãofusão dos diabos. Pelo sim pelo não, o Alfinete aconselha a que fuja...dos donos!

Factos Reais: Foi aprovado um pacote legislativo que define raças de cães potencialmente perigosos, sendo elas, o cão de fila brasileiro, pit bull terrier, dogue argentino, rotweiller, staffordshire terrier americano, staffordshire bull terrier, e tosa inu japonês.

Pensamento do dia: Assaltos, ataques a transeuntes, combates combinados pondo em risco a própria integridade física dos cães... o treino desadequado dos animais conduz a situações por vezes bárbaras. E legislação criminal hein?

Temos dito.
Ass: Mercador e Grizo.
sinto-me: Bahhh
música: Baha Men - Who let the dogs out
tags:
pregado por Alfinete de Peito às 16:18

link da posta | Espeta um comentário | Junta-o aos melhores!
16 comentários:
De conguinho a 3 de Maio de 2007 às 17:48
AMs que história e relato tão bem elaborado. Eu por acaso tenho um cnaito que se chama Hocks e é mto calminho.
Os cães é que sofrem mas os donos se são donos deviam cuidar deles e não deixar que prejudiquem outros. Que os tenham mas não os tragam para a rua ou coloquem a vida de outros em risco.
Gostei do fofinho será que tem descendentes hehehe
De Alfinete de Peito a 3 de Maio de 2007 às 18:29
Um de nós também tem um cãozinho, mais conhecido pela fera de tão pequenino que é! Enfim...a questão é que hoje em dia é utilizado para assaltos e como "arma" de intimidação. E a regularidade com que se vê nas notícias, uma pessoa morta ou gravemente ferida por causa de um destes "fofinhos" já começa a ser recorrente!

Beijinhos. Temos dito.
De Nini a 4 de Maio de 2007 às 17:59
Um assunto muito sério mas muito bem elaborado, a verdade é que este bichinhos são de companhia, e que as vezes são más companhias. Os donos é que têm que saber educar e principlamente respeitar os outros, são lindos são lindos, mas como diz o meu filhote "mas tem dentes". Gosto de animais de estimação já tive um total 9 gatos e 3 cães (sendo numa altura cão e gato no apartamento, e davam-se muito bem). Sofri o desgosto de me morrer a minha serra da estrela "Tuna" e desde aí nunca mais quis cães tamanho o sofrimento. Temos que respeitar os animais e saber educá-los mas principalmente comprir a legislação em vigor (vacinação, registo, licença, e se possível seguro) mas também perceber que são animais que nem sempre se consegue controlar, há que haver consciência dos males que eles podem causar, principlamente se os "obrigar a brincar com galinhas" .
Mas que desabafo tão longo....que seca que eu vos impûs, é para colmatar as saudades que sentiram !
Um beijo
De Alfinete de Peito a 4 de Maio de 2007 às 18:15
Nini,

Os teus desabafos nunca são uma seca, essencialmente porque o objectivo é criar um espaço de debate!

Efectivamente nunca tive nenhum animal de estimação, até porque moro num apartamento e sou um bocadinho contra...acho que eles precisam de espaço! Mas isso é apenas a minha opinião! Os outros membros do blog podem ter as suas!

Acho que os animais por vezes andam com más companhias e por vezes resultam danos graves, onde os respectivos donos não são responsabilizados e punidos! Se assim o fosse e houvesse mais fiscalização, pode ser que se não corresse tanta tinta nos jornais com este assunto!

Beijinhos. Temos dito.
De Mikas a 6 de Maio de 2007 às 22:35
Só tenho pena dos animais e das pessoas que são atacadas, quem treina os animais para esses efeitos é que devia levar umas belas mordidelas
De Alfinete de Peito a 7 de Maio de 2007 às 11:45
Umas belas mordidelas e não só. Não sei até que ponto é que os donos (responsáveis pelos animais) são responsabilizados nos actos dos mesmos! Basta andar por Lisboa para ver que não conseguimos andar sem olhar constantemente para o chão!

Temos dito.
De Miss.M a 7 de Maio de 2007 às 11:22
a culpa não é dos animais, porque tal como o nome indica, são apenas seres não racionais... a culpa é dos homens, dos donos que os educam (ou deseducam) para se aproveitarem deles!
De Alfinete de Peito a 7 de Maio de 2007 às 11:47
Os donos são os irracionais desta relação, sem sombra de dúvida!

Temos dito.
De Mário a 7 de Maio de 2007 às 19:22
Hoje, a minha cadela mordeu uma pessoa pela primeira vez. Fartei-me de rir. Uma Lulu da Pomerânia armada em cão. É lógico que, a dentada não deixou qualquer marca, nem sequer fez sangrar, mas, bastava ter uns quilitos a mais, e uma boca maior, para fazer estragos. O que quero dizer é que, os cães até podem ser muito bem educados, e bem tratados, mas têm uma percentagem considerável de imprevisibilidade. E, partindo desse princípio, os donos de animais de grande porte (potencialmente perigosos), deveriam estar sujeitos a legislação própria. Quem sabe, uma licença de posse, tal como nas armas de fogo.
É triste tratar um animal como um outro qualquer pertence, mas é hipócrita ignorar que, na prática, é essa a sua conotação. E isto tudo para não falar, de uma necessidade de fiscalização muito mais eficaz da vacinação...
Mas muito mais importante que isso, é o sentido cívico de cada um.
Para que nos possamos rir com os nossos cães, e não, chorar com os seus actos, há que haver noção do perigo que eles representam ou possam representar.

Como sempre, fazem-me ir às lágrimas de tanto gargalhar (adoro esta palavra...).
Um abraço.
De Alfinete de Peito a 8 de Maio de 2007 às 11:02
Caro Mário,

Efectivamente parte do sentido cívico de cada um. Neste caso e visto que os animais são imprevisíveis deveriam andar na rua amordaçados e deveria haver uma base de dados com os registos dos mesmos, para que os donos possam ser localizados e responsabilizados.

Quanto ao "gargalhar" nunca tinha ouvido, nem lido! Mas parece-me bem, é uma expressão a utilizar!

Forte abraço. Temos dito.
De APC a 10 de Maio de 2007 às 01:26
Eheheheheh... Divertido! :-)
Fizeste-me lembrar que tenho que te apresentar um blogger cuja onda humorística me parece algo compatível com a tua. É o 2º da lista no meu post de "Feeling Bloggers". Eu aqui cheguei um dia mas depois perdi-te, não foi? Agora não perco mais.
Gostei de te ver por entre as camuflagens!
Despeço-me só "até já"; com um abraço! :-)
De Alfinete de Peito a 10 de Maio de 2007 às 23:13
Efectivamente gostei do cuotidiano, acho que poderia ser mais uma pessoa a escrever para o Alfinete! Pena não estarmos no ter post do "feeling bloggers"...enfim, haverá outras hipóteses!

Vê lá se não nos perdes mais!

Até já. Temos dito.
De APC a 10 de Maio de 2007 às 20:14
Troco o TU pelo VÓS, com perdões e vénias:
Gostei de VOS ver por "lá"! :-P
Aqui, virei ver-VOS sempre! :-)
Um abraço. Aliás, dois, pelo menos, né? ;-)
De Alfinete de Peito a 10 de Maio de 2007 às 23:14
Duplica os abraços, porque somos 4!

Ficámos à tua espera!

Temos dito.
De padeiradealjubarrota a 25 de Maio de 2007 às 18:03
Sim, o melhor é fugir dos donos. Livra!
De Alfinete de Peito a 26 de Maio de 2007 às 00:12
Cara Padeira,

é um autêntico flagelo social e de que devemos ter bastante cuidado! Ao menos o cão do meu vizinho de cima não morde, mas começa a uivar pelas 7.30h da manhã...que bela maneira de começar o dia!

Beijinhos. Temos dito.

Espeta-o

Contacta o Alfinete

Mail: blogalfinetedepeito arroba sapo ponto pt
Msg: alfinetedepeito arroba gmail ponto com

tags

todas as tags

Pesquisa no Alfinete

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Achtung!

Todo e qualquer conteúdo deste blog é fictício, até os seus criadores.

Descubra os Alfinetes!

GRIZO
Delírios verborreicos e silêncios criativos. Adoro ver em ângulo morto e desmontar maratonas de 500 metros. Tenho dito.

MERCADOR
O meu passatempo favorito é fazer omoletas sem ovos. Adoro e ao mesmo tempo odeio pessoas. Gosto de olhar e ver e de pôr a minhoca de molho. Tenho dito.

TOBIAS
Diagnosticado, com pensamento abstracto, possuo também inteligência, humor e acima de tudo beleza (para compensar a ausência nos restantes). Tenho dito.

Amigos do Peito

Alfinetes no Palheiro