Sexta-feira, 1 de Setembro de 2006

CHÁ DAS CINCO

Um grupo de amigos habitués do Bico D’obra decidiu contar-nos um episódio que se sucedeu durante as suas férias na Madeira. Manel convidou os seus amigos Francisco e Zé para o acompanharem na visita ao seu primo Roberto que mora no Funchal. Juntou-se o “gang” e seguiram com malas e bagagens rumo a uns dias de descanso.

Certo dia, os quatro procuravam novas sensações. Outros prazeres após mais um episódio de Framboesas com Adoçante. Roberto morava numa levada onde a vista é deslumbrante. O sol rompe as nuvens e espelha-se no mar recortado pela escarpa.

Desceram até a Praia e colheram oito flores de Lúcifer e iniciaram a sua aventura, em buscas das ditas novas sensações, abrindo as portas da percepção, procurando a felicidade a prazo e esquecendo a realidade por momentos.

Embalados por promessas de felicidade fácil, os quatro ferveram as oito plantas do Demónio. Aquela flor bonita, qual maçã de Adão, em forma de sino e de cores fortes, não denunciando o real significado de tal beleza aparente.

Roberto tinha feito uma breve pesquisa na Internet e tinha descoberto como fazer chá da erva-de-satanás, tendo por momentos revelado uma faceta empreendedora e assombrá-lo o pensamento de que poderia vender o conceito à Lipton.

Como na lei de Murphy, “Se algo pode correr mal, correrá mesmo” (pessimista do caraças este gajo). Foi o que aconteceu naquela tarde luzidia de Agosto, os quatro deram entrada no Hospital da Cruz de Carvalho. Manel, Francisco e Zé tiveram alta após uma lavagem ao estômago, mas Roberto não resistiu ao chá do Belzebu.

Factos Reais:
Belladona – Conhecida como erva-do-diabo, é originária da zona da Cordilheira do Himalaia, e existe em vários jardins portugueses. É utilizada com fins ornamentais e cultivada em larga escala para fins medicinais, apesar de a ingestão de algumas bagas poder ser fatal.

Sérgio Paulo foi sepultado no sábado, 19 de Agosto, dia em que completava um ano de internamento no Centro da Sagrada Família.

Pensamento do Dia: Sérgio não regressou à levada, não voltou a ver a beleza do pôr-do-sol no mar...tudo por um momento de pura ilusão. Qual a necessidade de tal fuga da realidade? Terá valido a pena?

Temos dito.
Ass: Grizo e Mercador

pregado por Alfinete de Peito às 11:48

link da posta | Junta-o aos melhores!
De trinta_paus a 3 de Setembro de 2006 às 02:38
bolas... eu sabia... depois de estar uma meia duzia de horas a olhar pro comment que fiz, percebi, depois de 6 minis bem fresquinhas, que "poderam" devia ser "poderão". O português é tramado ao teclado de um burro!
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


Contacta o Alfinete

Mail: blogalfinetedepeito arroba sapo ponto pt
Msg: alfinetedepeito arroba gmail ponto com
RSS: RSS do alfinete

Google Reader or Homepage
Subscribe in NewsGator Online
Add to Technorati Favorites!
Get RSS Buttons
online

tags

todas as tags

Pesquisa no Alfinete

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Achtung!

Todo e qualquer conteúdo deste blog é fictício, até os seus criadores.

Descubra os Alfinetes!

GRIZO
Delírios verborreicos e silêncios criativos. Adoro ver em ângulo morto e desmontar maratonas de 500 metros. Tenho dito.

MERCADOR
O meu passatempo favorito é fazer omoletas sem ovos. Adoro e ao mesmo tempo odeio pessoas. Gosto de olhar e ver e de pôr a minhoca de molho. Tenho dito.

TOBIAS
Diagnosticado, com pensamento abstracto, possuo também inteligência, humor e acima de tudo beleza (para compensar a ausência nos restantes). Tenho dito.

Amigos do Peito

Alfinetes no Palheiro