Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2006

AMOR ARDENTE

Dizem que a Paixão é "fogo que arde sem se ver", mas Aníbal Silva, não poderá dizer o mesmo. Recentemente, numa sessão de sexo escaldante com Lucinda, que metia muitas velas e respectivos candelabros, queimou a casa toda. Trata-se de um amor ardente, tão ardente, que Aníbal ficou todo queimadinho. Felizmente foram queimaduras em 13º grau.

Aníbal Silva e Lucinda Emanuel conheceram-se no verão de 2002 no Parque de Campismo do Monte da Caparica, e ambos afirmam que foi amor à primeira vista. Lucinda confidenciou-nos que mal o viu chegar ao parque e montar a tenda, nunca mais quis outra coisa. Aníbal por seu lado, também é louco pela sua babe.

Como prenda especial do Dia dos Namorados, Aníbal decidiu dedicar uma canção à sua mais bela. Como tal, compôs o belíssimo tema “Tu és o meu Amor!”, que promete destronar os Il Divo do top nacional de vendas. Para ouvirem basta fazerem o Download:

Clique aqui para fazer download da música “Tu és o meu Amor!” (botão direito em cima do link, “Save Link As…”).

Legenda: O Amor está no ar com estes dois! Foto tirada na piscina do Parque de Campismo do Monte da Caparica, em 2002, no momento em que se conheceram.

TU ÉS O MEU AMOR!” BY A. SILVA:

Coração
Estás dentro do meu peito
Ai se te apanho a jeito
Vamos fazer o amor

Quando te vejo
Aumentas o meu desejo
Ao teu lado nunca bocejo
TU ÉS O MEU AMOR!

Paixão
Tu estás sempre à minha mão
Quando dormes chamo-te coração
Tu és a minha paixão

Ai Amor, sempre que te vejo
Aumentas o meu desejo
Dá-me cá um beijo
TU ÉS O MEU AMOR!

Letra: Grizo e Mercador

Produção e Arranjos: Billy

Factos Reais: Valentim era um padre catolico que na altura dos romanos andava a casar os jovens apaixonados. Estes eram muitas vezes soldados que depois iam lutar pelo Império Romano, ora estando eles casados e tendo um lar para onde voltar ja não lutavam com a mesma força e determinação. OS Romanos decidiram matar este padre para impedir que continuase a realizar casamentos. Fizeram-no dia 14 de fevereiro. Desde a sua morte que os jovens casais se casam neste dia como homenagem ao Padre Valentim.

Pensamento do Dia: O Amor é uma doença, quando nele julgamos ver a nossa cura. Ou o Amor é a cura para a nossa doença. O Dia dos Namorados tornou-se num dia puramente comercial, porque se pensarem bem, vocês devem estimar aqueles que mais amam, não só neste dia, mas todos os dias. E por vezes a espontaneadade de um jantar ou de um presente especial, simplesmente por pura lembrança da pessoa que mais ama, vale muito mais do que algo planeado, o que em muitos casos cheira a obrigação. O Amor é para ser vivido intensamente, todos os dias do ano. O dia 14 de Fevereiro, não é mais do que uma nova conquista da nossa sociedade de consumo, especialista em arranjar os famosos e “inesquecíveis” “Dias de…”.

P.S.: Como a seriedade e o amor são duas metades importantes de uma relação, decidimos excepcionalmente lançar dois posts ao mesmo tempo. A não perder, o post logo a seguir a este (basta fazer um scroll down), “(DES)NORTE”.

Temos dito.
Ass: Billy, Grizo e Mercador.

pregado por Alfinete de Peito às 01:29

link da posta | Espeta um comentário | Junta-o aos melhores!
25 comentários:
De viver em segredo a 13 de Fevereiro de 2006 às 17:59
ahahhaha....meus amigos...acabaram de me dar ajuda para o fundo musical que vou precisar amanhã à noite para o meu jantar romântico....muito bom....como sempre...;)beijinhos
De RG a 13 de Fevereiro de 2006 às 19:53
Epá muito bom, vocês já têm manager? :o)
De Afrodite a 14 de Fevereiro de 2006 às 00:52
espectacular!
Parabéns
(e obrigada pela partilha)
De Emanuel Graça a 14 de Fevereiro de 2006 às 01:47
Grande classe! O Alfinete é muito grande!
De Rita Sousa a 14 de Fevereiro de 2006 às 02:20
lol se me fizessem uma musica assim ia morrer de amores... bom já agora porque razão se diz:"vamos fazer o amor"?

bom dia dos namorados
De origani a 14 de Fevereiro de 2006 às 11:45
LOL... e viva o dia dos namorados, que com essa musica vai passar a ser inesquecivel! LOL
De L a 14 de Fevereiro de 2006 às 15:51
Amor ardente é o dos meus vizinhos... :
O meu vizinho, que todo o fim de semana se recusou a sentar na soleira da minha porta, contou-me o seguinte... " Depois de sair do banho tenho por costume ir aquecer-me ao pé da salamandra antes de me vestir...ontem encostei o traseiro um bocadinho mais, porque até me estava a saber bem! Quando dei por ele pensei: Ah Maximino já fodeste o cu!" pois é o meu vizinho queimou-se a sério... enquanto ele descrevia o sucedido a sua esposa comentava ao lado um pouco histérica...ele já não aguentando tanta palrisse retorquiu... "Carago... mas eu fodi o meu cu não foi o teu..."... Isto é veridico.
De brun0.m@rkez a 14 de Fevereiro de 2006 às 18:41
O que interessa é saber que o Aníbal e a Lucinda encontraram um caminho comum para uma felicidade mútua! hehe São lindos! =P

Feliz dia pra vocês!
Belo trabalho o vosso...

abraço
De TMara a 14 de Fevereiro de 2006 às 19:13
Risos...
Olhem lá, este Aníbal deve ser famiiar do Zé cabra...Ou será ele com novo nome artístico? dada a "cólidade". só pode. Ou é coisa genética nos....anibais....Vou ler o anterior.até já
De Desconhecida a 14 de Fevereiro de 2006 às 21:17
Fantástico.
O parzinho amoroso é ao jeito da canção.

Beijinho

P.s. Voçês são espirituosos, têm graça.

Espeta-o

Contacta o Alfinete

Mail: blogalfinetedepeito arroba sapo ponto pt
Msg: alfinetedepeito arroba gmail ponto com

tags

todas as tags

Pesquisa no Alfinete

 

Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Achtung!

Todo e qualquer conteúdo deste blog é fictício, até os seus criadores.

Descubra os Alfinetes!

GRIZO
Delírios verborreicos e silêncios criativos. Adoro ver em ângulo morto e desmontar maratonas de 500 metros. Tenho dito.

MERCADOR
O meu passatempo favorito é fazer omoletas sem ovos. Adoro e ao mesmo tempo odeio pessoas. Gosto de olhar e ver e de pôr a minhoca de molho. Tenho dito.

TOBIAS
Diagnosticado, com pensamento abstracto, possuo também inteligência, humor e acima de tudo beleza (para compensar a ausência nos restantes). Tenho dito.

Amigos do Peito

Alfinetes no Palheiro